Moradias no Setor Comercial Sul: você é contra ou a favor?

Moradias no Setor Comercial Sul: você é contra ou a favor?

Moradias no Setor Comercial Sul: você é contra ou a favor?

O Setor Comercial Sul pode receber moradias, de acordo com uma proposta de revitalização do Governo do Distrito Federal. Segundo o projeto, parte dos prédios do local seria preparado para ter residências, o que seria uma alteração ao que foi previsto inicialmente: que a área receberia escritórios e comércio.

O que diz a proposta?

A ideia faz parte do programa Viva Centro, destinado a revitalizar a área central de Brasília. Com isso, 30% das unidades seriam convertidas em residências de até 60 metros quadrados sem garagem.

O texto já foi aprovado pelo Conselho de Planejamento Territorial e Urbano (Conplan). Entretanto, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) rejeitou a primeira proposta. Ou seja, o GDF precisa fazer alterações para que o projeto seja aceito.

Por que fazer moradias no Setor Comercial Sul?

Os argumentos para a construção das moradias em mais uma área central de Brasília são baseados na revitalização dos espaços públicos. Segundo o GDF, a ocupação do espaço poderia deter a degradação atualmente observada no SCS.

A desocupação aferida em 2018 foi de 24% das salas comerciais do local. O secretário de Habitação do DF, Mateus Oliveira, afirmou que são “sete prédios inteiros desocupados” no local.

Trânsito intenso e falta de estacionamentos são problemas atuais do Setor Comercial Sul

Problemas

A presença de moradores de rua é um empecilho para a instalação de residências no Setor Comercial Sul. Trata-se de um problema social que poderia ser mais uma das dificuldades para colocar a proposta em prática.

As atividades culturais seriam impactadas pela presença de moradores no local. Festas teriam que cumprir a Lei do Silêncio, o que não é necessário atualmente, já que não há moradias no local.

Eventos como o Carnaval, já consolidados há anos no Setor Comercial Sul, Setor Bancário Sul e área central, seriam colocados em risco, porque dificilmente haveria consenso sobre a passagem dos blocos de Carnaval na região.

Mesmo que a proposta de requalificação preveja que não devem haver garagens no local, a mobilidade urbana seria uma questão a ser debatida. Resta saber se os estacionamentos públicos da região seriam suficientes para a nova população residente.

Além disso, o estado de conservação dos prédios também seria um entrave. Boa parte das edificações foi construída nos anos 1960 e 1970, o que causaria dificuldades de adequação para receber apartamentos.

Para ser aprovado,o projeto precisa responder questões significativas à população do Distrito Federal. E você o que acha sobre as moradias no Setor Comercial Sul?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

O que deseja encontrar?