Políticas para primeira infância reúnem pastas da Saúde, Educação, Cidadania na Câmara

Políticas para primeira infância reúnem pastas da Saúde, Educação, Cidadania na Câmara

Políticas para primeira infância reúnem pastas da Saúde, Educação, Cidadania na Câmara

Em debate liderado pela deputada Paula Belmonte, especialistas discutiram políticas que envolvam diversas áreas e ainda os Três Poderes

A primeira infância foi a palavra-chave para iniciar a manhã desta quarta-feira (21) na Câmara Federal. A deputada Paula e Belmonte (Cidadania-DF) foi mediadora do Ciclo de Palestras da TV Câmara, que contou com representantes dos Ministérios da Educação, da Saúde e da Cidadania, além da consultoria da Casa.

Transmitido pela TV e pela WebCâmara, o programa lançou debate sobre gravidez na adolescência, maternidade e paternidade com responsabilidade, definições de creche nos tempos atuais, programas prioritários para a primeira infância e sistemas de avaliação da educação infantil, bem como a intersetorialidade, considerada pela parlamentar fundamental para a execução de políticas na área.

“Juntos podemos fazer muito mais pelas crianças. Sem esquecer o alerta do ganhador prêmio Nobel, James Heckman: a cada dólar investido na criança, economizamos sete no futuro. É muito bom contar com tantas pastas unidas para isso e os Poderes da União, embora ainda sinta falta da Justiça, também relacionada com o assunto”, salientou.

Para Ana Valeska Gomes, consultora legislativa da Câmara na área de educação e desporto, intervir precocemente na vida da criança é o ideal. “Na formação continuada, precisamos investir mais na educação infantil”, incentivou. Sugestão que parece ter sido acatada conforme a notícia da coordenadora geral de Educação Infantil da Secretaria de Educação Básica do MEC (Ministério da Educação), Raquel Tavares.

Segundo a coordenadora, este ano, pela primeira vez a educação infantil vai fazer parte do Sistema de Avaliação da Educação Brasileira (Saeb), em caráter experimental. “A gente não pode melhorar o que não avalia”, observou.
Incentivado no Distrito Federal por Paula Belmonte e recentemente implantado na capital federal, o programa Criança Feliz, do Ministério da Cidadania, apresenta números positivos em atendimento por todo o país. Nos 2.618 municípios com adesão ativa, mais de 610 mil crianças foram visitadas, como ressaltou Ana Paula Gomes, do Departamento de Atenção à Primeira Infância, da Secretaria Nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano do Ministério.

Para as jovens grávidas do país, a coordenadora de Saúde da Criança, do Departamento de Ações Programáticas da Secretaria de Atenção Primária à Saúde, do Ministério da Saúde, Janini Selva Ginani, falou em estruturar políticas de planejamento para gravidez na adolescência. Tudo de acordo com a realidade do país e nas perspectivas dos brasileiros.

Paula Belmonte sugeriu que as apresentações e o debate sejam apenas o início de uma relação conjunta mais aprofundada. A deputada destacou que a qualidade de vida futura depende muito da integração e do olhar para a primeira infância. “Vejo que a política para a criança, e em geral, foi criada para o cuidado com o próximo. Nosso desafio no parlamento é não deixar o ego e a vaidade atrapalharam esse cuidado”, concluiu.

Foto: Alexandre Motta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

O que deseja encontrar?