Paula Belmonte debate nova gestão da Educação em audiência com ministro

Paula Belmonte debate nova gestão da Educação em audiência com ministro

Paula Belmonte debate nova gestão da Educação em audiência com ministro

Resultado da aprovação de três requerimentos da deputada federal Paula Belmonte e outras demandas dos deputados que compõem a Comissão de Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, ministro da Educação, participou da audiência pública nesta quarta-feira (27).

Paula Belmonte apresentou informações da ONG Todos pela Educação, com base em dados oficiais, durante a audiência pública. Informou que 24% das crianças não concluem o ensino fundamental até os 16 anos de idade; 57% dos jovens mais pobres terminam os estudos até os 19 anos; apenas 14% das escolas públicas não possuem parte da estrutura básica. Ainda, em 2016, menos da metade dos alunos atingiam o mínimo de proficiência em leitura e matemática considerada adequada ao fim do ensino fundamental.

“Como deputada de primeiro mandato, vejo que faz parte de todo discurso político: ‘educação é prioridade, é transformação’. Mas, na prática, a realidade não é essa há muito anos. Estamos a 100 dias de governo e ainda sem investimentos, livros nas escolas, adequação do currículo”, analisou a deputada federal.

O ministro da Educação concordou. “Os dados que a deputada Paula Belmonte traz são verdadeiros e trágicos. Em todos os Estados temos índices negativos”, informou Ricardo Vélez. Conforme o ministro, especialistas estão estudando o fenômeno a pedido do ministério, para que a pasta planeje o fim da evasão escolar.

Os institutos federais, defendidos por Paula Belmonte, também são alvo do ministério para ampliação da rede de atendimento. O MEC está se aproximando de mais de 600 instituições pelo Brasil, para profissionalizar os jovens, segundo o ministro. “Vamos trabalhar com eles em políticas públicas de renovação do ensino de segundo grau”, enfatizou.

Para a alfabetização, o ministério criou a Secretaria Especial da Alfabetização, com o pesquisador e professor Carlos Nadalin à frente.

Questionamentos
Os parlamentares da Comissão de Educação pediram ao representante do MEC explicações sobre a meta 20 PNE – decisões e ações; como serão as nomeações e se as indicações acadêmicas serão respeitadas para as reitorias das universidades, e a respeito das cotas, se haverá garantia de assistência estudantil.

Mas, principalmente, foi questionada a situação da execução orçamentária da pasta em relação a 2018, quais serão, objetivamente, os rumos da educação integral no país e onde é possível encontrar os projetos do governo para a educação e metas, como datas para implementação, execução e entrega.

Segundo o ministro, “universidade é para todos que consigam ser aprovados no exame de admissão, mas deve ser gerida com responsabilidade fiscal e democrática”. Entretanto, admitiu que a má qualidade do ensino básico e fundamental causam problemas de acessibilidade aos estudantes do ensino público, também por isso as cotas serão mantidas enquanto for necessário.

Para a deputada federal Paula Belmonte, a transparência, assim como a fiscalização, meta de mandato, devem ser prioridade máxima. “Não podemos mais permitir que o futuro dos nossos jovens seja subestimado e não receba investimentos. Os fatores econômicos e de desenvolvimento precisam desse destaque”, concluiu a parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

O que deseja encontrar?